Tesouros No Céu Vistos Pelos Olhos Espirituais (Mat 6.22).

Terça, 26 de Janeiro de 2021

Tesouros No Céu Vistos Pelos Olhos Espirituais (Mat 6.22).

      Pelo despertamento do olho espiritual o homem pode ver a realidade eterna. É impossível o homem ter os olhos espirituais abertos para os valores espirituais e no mesmo tempo tê-los abertos para os “desvalores” materiais.

      Antes que o homem possa receber os tesouros dos céus deve ele estar disposto a perder todos os tesouros da terra. Não significa que o homem deve abandonar tudo o que tem materialmente falando para tomar posse dos valores espirituais, mas estar disposto a se necessário perder. Deus conhece nossos corações e ele sabe em que estamos mais apegados, se nas coisas materiais ou nas coisas espirituais.

      Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me (Mat 19.21).

      Ao jovem rico Jesus aconselhou que se despossuir-se de “suas” posses para de nada ser possuído, e só assim seu coração seria totalmente possuído pelo senhor Jesus. Mas Jesus sabia que aquele jovem não estava disposto a se libertar das riquezas quantitativas em demanda das riquezas qualitativas.

      Já vi gente se demonstrar triste por ser pobre, mas esse jovem saiu da presença do senhor Jesus triste por ser rico. Aqui fica muito claro que não há nenhuma compatibilidade entre quantidade e qualidade, entre riqueza e espiritualidade. É tão difícil pra um rico adquirir espiritualidade como para um espiritual adquirir riqueza; Jesus disse que é mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha (Mat 19.24).

      Jesus disse que não podemos servir a dois senhores, as riquezas e a Deus (Mat 6.24).

      Quem não renunciar tudo o que tem não pode ser meu discípulo (Luc 14.33).

     A consciência do ser desvaloriza a ilusão do ter. Dificilmente quem tem algo venha um dia a ser alguém. O homem que faz sua felicidade depender de suas quantidades não é realmente feliz, mas provisoriamente feliz, porque o dia em que ele perder suas quantidades ele perde também sua infelicidade. Só somos realmente livres e felizes quando temos o que o mundo não pode tirar e não vivemos em função daquilo que o mundo pode nos dar.

      O apego às coisas materiais é talvez o maior obstáculo para o homem adquirir os valores espirituais. Quando confiamos que Deus não nos desamparará e buscamos primeiramente o seu reino e sua justiça ele providencia tudo o que for necessário pra vivermos bem e felizes.

      O senhor Jesus não andava como o profano Herodes no luxo, mas também não vivia no lixo. Era dono de tudo, mas vivia como se não tivesse nada. No maior de todos os seus sermões ele disse: “Bem-aventurado os pobre de (pelo)  espírito, porque deles é o reino dos céus (Mat 5.3).

A nossa tradução diz pobre de espírito, mas o certo é pobre pelo espírito. A palavra bem-aventurado quer dizer feliz, e Jesus está dizendo que o homem que mesmo tendo riqueza se faz pobre, vivendo como se não tivesse é um homem bom e feliz.

Posses Quantitativas e Valores Qualitativos

      Quem não realizou posses qualitativas espirituais aqui na terra dentro de si, perdeu 50 ou 80 anos da existência aqui na terra, e ainda mais com o agravante de sair desse mundo com pesados débitos com que não entrou na vida terrestre.

      O “TER” é o maior inimigo do “SER”. O apego interno aos bens materiais é talvez o maior obstáculo na iluminação do interior. Quem tem algo dificilmente pode ser alguém.

      O homem “velho” é tão fraco que se cerca de muitos “MEUS”, é tão inseguro que ergue vastas trincheiras de “seguro” para se sentir seguro.

      O “TER” é do velho homem, o “SER” é do novo homem.

      Difícil é a arte de ser pobre, mais ais difícil ainda é a arte de ser rico. Muitos são os pobres, poucos são os ricos, poucos sabem ser pobres pouquíssimos sabem ser ricos. Todo problema não está nem em ser rico ou ser pobre, mas em saber ser rico e saber ser pobre. Quem sabe ser rico pode possuir riqueza sem delas ser possuído, mas quem não sabe é melhor renuncia-la para não se tornar escravo de matéria morta (Luc 12.20).

A Lâmpada Do Corpo

      Jesus ensinou que a lâmpada do corpo são os olhos (Mat 6.22). Mas que olhos? Os olhos da matéria não pode ser, porque estes só podem ver as coisas que estão no claro. Ele fala de um olho, que apesar de todo mundo o ter, não sabem. Esse olho é chamado de olho-luz. Os entendidos no assunto dizem que ele está alojado numa glândula chamada pienal entre os dois olhos físicos. Este terceiro olho está atrofiado no homem pecador. O pecado (ou a hipertrofia do ego-analítico-mental) atrofiou a visão intuitiva do homem, portanto, ele não pode ver as realidades espirituais de tanto se interessar pelas futilidades virtuais.

      O abrimento do olho espiritual só é possível através da poderosa ação do Espírito Santo na vida do homem escravizado pelo ego analítico mental.

      A Parábola Do Tesouro Escondido (Mat 13.44)

      Quando o homem abre o olho-luz ele passa a não interessar mais pelos tesouros da terra. Não se trata de desertar-se do mundo, mas de colocar as coisas de Deus em primeiro lugar. O próprio Jesus disse o seguinte:

      Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas (Mat 6.33).

      Paulo Em Damasco (Atos 9.11-18)

      Com o despertamento do olho espiritual, ocorre o fechamento do olho carnal.

      Só quando Saulo teve os lhos carnais fechados é que nele se despertou o olho espiritual. Antes disso, ele só conseguia vê o famigerado fanatismo legalista. Quando ele se encontrou com o senhor Jesus nos portões de Damasco seus olhos carnais se fecharam, permitindo assim, o abrimento do olho espiritual. E quando ele se emancipou da velha egoidade humana seus olhos materiais voltaram a vê, mas não como viam antes.

      Abraão e Ló (Gên 13.10)

      Levantou Ló os olhos, e viu toda a campina do Jordão, e que era toda bem regada.

      Ao levantar os olhos, Ló viu em sua frente uma grande extensão de terras, mas com que olho Ló viu tudo aquilo? Com certeza, com os olhos carnais, porque se fosse com o olho espiritual ele não teria a escolha errada e nem teria trazido tantos prejuízos tanto pra ele como para Abraão.

      Ló, sobrinho de Abraão, fez uma péssima escolha porque não tinha o olho espiritual aberto. Ele só conseguia ver alguns metros em sua frente, nada mais. Abraão via para além da matéria porque tinha o olho espiritual aberto (Heb 11.10).

O Abrimento Do Olho-Luz

      Como posso abrir o olho espiritual? Através de oração e renúncia. A oração e a renúncia são as duas asas sobre as quais a alma se ergue rumo a Deus. Na renúncia, eu esvazio o meu recipiente espiritual que está cheio de ilusões materiais. O ato desse esvaziamento me deixa propício para um enchimento. Não se enche o que está cheio, mas somente o que está vazio. Sendo assim, precisamos nos esvaziar de nossas auto-suficiências humanas a fim de que Deus nos cause um enchimento divino. Ninguém se enche do Espírito de Deus aleatoriamente. Precisamos criar em nós uma condição propícia para que Deus venha nos encher de sua gloriosa graça gratuitamente. Deus espera que sempre criemos em nós essa condição, porque onde há uma vacuidade ocorre uma plenitude, e quando o servo está pronto o mestre aparece.

      O estado de êxtase equivale ao abrimento do olho-luz (Núm 24.4,16). É nos momentos de indizíveis oração que recebemos as maiores inspirações. O crente que não hora nunca se habilitará para receber de Deus seus gloriosos dons espirituais, e portanto, nuca abrirá o olho espiritual porque o abrimento desse olho se dá através da oração (II Reis 6.17).

Visão Terrena

      Levou e mostrou todos os reinos (Mat 4.8)

     Satanás mostrou ao senhor Jesus todos os reinos da terra. Com que olho Jesus viu tudo aquilo? Com certeza, com o olho espiritual. Dificilmente alguém rejeitaria a oferta que satanás fez ao senhor Jesus, exceto se tal pessoa tivesse o olho espiritual bem aberto como tinha o senhor Jesus. Mesmo tendo o olho espiritual aberto, Balaão, o profeta mercenário, se vendeu a Balaque por dinheiro e por isso, teve um fim trágico (II Ped 2.15; Jud 11; Ap 2.14). A sentença de Balaão foi maior porque ele conhecia por experiência os valores espirituais, e mesmo assim, trocou pelos virtuais valores materiais. É triste o estado de um crente que tem o olho espiritual fechado, mas é tristíssimo o estado de um crente que fecha o olho espiritual para viver em função dos olhos carnais como fez Balaão.

      No dia de pentecoste 120 pessoas abriram o olho-luz, qual foi o resultado? (At 2.44-45). O resultado foi que eles não se julgavam mais donos de nada para a nada pertencerem porque queria pertencer somente ao senhor Jesus. Eles sabiam que a possessão material às vezes possui o pretenso possuidor, e para não serem possuídos por mais nada nesse mundo eles se despossuiram de todas suas posses.

Cegueira Espiritual

      O deus deste século cegou os olhos… (II Cor 14.4).

      Satanás é experto em cegar crentes com ofertas materiais. Não somos os primeiros a ser tentado com suas ofertas luciféricas, Jesus também passou por isso e saiu vencedor (Mat 4.8).

      Entenebrecidos no entendimento (Ef 4.18).

      Quem odeia o seu irmão está nas trevas (I Jo 2.11).

     A contenda e a falta de comunhão também é uma forte arma satânica para fechar o olho espiritual dos crentes. Mas podemos resisti-lo com a Palavra de Deus conforme fez o senhor Jesus (Tiago 4.7).

Como Obter a Visão Espiritual?

      É dada em resposta a oração (II Reis 6.17).

      Para possuir tem que ser puro de coração (Mat 5.8).

      Ela usa o telescópio da fé. Porque vê o invisível (Heb 11.27).

      Buscai as coisas que são do alto (Col 3.1-2).

Buscai as coisas de cima (Fip 3.20:Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo)

Pastor Espedito Marinho

Categorias